Agenda
04, 11 e 18 05.2019

Técnicas de Olaria Ancestrais - Workshops

Técnicas de Olaria Ancestrais

Workshops - 4 de Maio, 11 de Maio e 18 de Maio, na Villa Romana de Sendim

A Villa Romana de Sendim será palco de três sessões dedicadas à olaria, nos dias 4, 11 e 18 de maio e que, permitirão aos participantes estar em contacto com técnicas ancestrais de modelação (manual e roda baixa) e cozedura (Soenga).
No final deste workshop, os participantes terão adquirido as bases para reconhecer as técnicas ancestrais de modelagem e cozedura na cerâmica.
A utilização destas técnicas de modelação e cozedura assumem características próprias que ficam impressas nos recipientes cerâmicos, sendo estas facilmente reconhecidas nos materiais arqueológicos exumados durante as escavações. Os materiais cerâmicos constituem assim um dos principais objetos de estudo dos arqueólogos e ceramólogos, para definir as tecnologias de fabrico na olaria em cada período cronológico.
Desde muito cedo o homem usou a argila com finalidades muito diversas, utilizando várias técnicas (tipo de pastas, modelação, cozedura e
acabamentos) que definem a cultura de um povo ou comunidade em determinado momento da história.


4 de maio, às 14 horas, Villa Romana de Sendim - “Modelação Manual de Cerâmica”

A primeira sessão, com uma duração de 3horas, subordinada ao tema “Modelação Manual de Cerâmica”, será orientada por Raul Costa.
Raul Costa é Técnico de Arqueologia desde 2001, participou em mais de cinco dezenas de escavações arqueológicas promovidas por empresas privadas e entidades públicas. Esta sua vasta experiência de trabalho na área da arqueologia em várias regiões do país permitiu um franco conhecimento da cultura material desde a Pré-história até a Idade Moderna. A sua paixão pela olaria ancestral foi motivada pelas suas experiências na área da arqueologia experimental, aperfeiçoando as técnicas de modelação manual na perspetiva de produzir réplicas de vasos cerâmicos da Pré e Proto-história.


11 de maio, às 14 horas, Villa Romana de Sendim - “Modelação de Cerâmica em Roda Baixa”

A segunda sessão, com uma duração de 3horas, realiza-se no dia 11 de maio às 14 horas, é subordinada ao tema “Modelação de Cerâmica em Roda Baixa” e será orientada por César Teixeira – Oleiro de Gondar - Amarante.
César Teixeira de Gondar (Amarante) é o único oleiro em atividade. Apesar de não se dedicar à olaria a tempo inteiro, tem procurado através de vários workshops de roda baixa e cozedura em soenga, manter a tradição da sua terra viva. Foi em 1987 que se decidiu a aprender as técnicas fundamentais da olaria ancestral: o uso da roda baixa e a cozedura do barro em soenga, tendo o oleiro Manuel Teixeira sido o seu mestre. Este oleiro tem no seu reportório algumas peças tradicionais de Gondar ao que acrescentou algumas inovações formais de sua própria autoria.

18 de maio, às 14 horas, Villa Romana de Sendim - “Cozedura do Barro em Soenga”

A terceira sessão, com uma duração de 5h, subordinada ao tema “Cozedura do barro em soenga”, será orientada pelo mestre oleiro César Teixeira.
A cozedura em soenga, também denominada cozedura em montão ou em fogueira, é um processo muito antigo de cozer a louça de barro, documentada ainda no século passado em muitos centros oleiros do Norte de Portugal.
A cozedura em soenga demora cerca de 5 horas e compreende 3 momentos distintos: 1º - aquecimento prévio das peças, para que não rachem quando submetidas a altas temperaturas; 2º - cozedura propriamente dita, em que a temperatura sobe até cerca de 900º e a louça fica ao “incandescente”; 3º - abafamento, em que a fogueira é extinta e as peças cobertas com caruma e terra, bem compactada, para que não haja entrada de ar e o fumo penetre na louça dando-lhe a cor negra que lhe é característica.
Durante esta última fase, teremos um pequeno lanche convívio entre os participantes, e uma pequena palestra, “as cerâmicas dos Contextos arqueológicos”, sob a orientação de José Ribeiro (Arqueólogo do SP-CMF) onde se abordará as “cicatrizes” que as técnicas de modelação (manual e roda baixa) e cozedura (soenga) ancestrais deixam nas peças cerâmicas oriundas das escavações arqueológicas.
Seguindo-se a desmontagem da soenga, que só será efetuada após o tempo necessário ao arrefecimento da louça, cerca de 3 horas após a conclusão da 3ª fase, sendo então aberto o monte de terra e carvão com um engaço e retiradas as peças, ainda quentes, dispondo-as à volta da soenga.

Inscrição obrigatória, até dia 03 de maio, através do email villaromana.sendim@cm-felgueiras.pt ou do telemóvel 962 126 327. As inscrições poderão ser feitas para o workshop completo, que contempla as 3 sessões, ou apenas para as sessões pretendidas.
As primeiras 25 inscrições, para o workshop completo ou para a sessão de 11 de maio, “Modelação de Cerâmica em Roda Baixa”, darão oportunidade aos participantes a possibilidade de trabalharem na Roda Baixa.

Atualidade 01/2018
Cm Felgueiras 2019 - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por