Agenda
01.04.2017

Exposição e Conferência | Centenário da energia elétrica em Felgueiras

No âmbito do Centenário da energia elétrica em Felgueiras será inaugurada uma exposição informativa, documental e museológica sobre a iluminação do concelho de Felgueiras desde a sua inauguração até à passagem da concessão para a EDP.

Serão expostos documentos do acervo da Câmara Municipal Felgueiras e do acervo da Agência Portuguesa do Ambiente.

As peças museológicas, fotografias, contadores, medidores de voltagem, isoladores em porcelana, planta da rede, e etc. pertencem à Central Hidroelétrica do Corvete e foram cedidas pelo proprietário.

Após a inauguração da exposição o professor doutor Francisco da Silva Costa dará uma conferência sobre a Central do Corvete cujo título é A Central do Corvete: um contributo histórico a partir das memórias dos Serviços Hidráulicos.

O desenvolvimento tecnológico representado pela utilização da eletricidade para iluminação e como força motriz, verificado no final do século XIX, veio conferir um novo interesse aos antigos aproveitamentos hidráulicos, o qual não deixará de ser, de imediato, explorado pelo sector industrial. De facto estas instalações hidráulicas, que até então eram utilizadas apenas para fornecer diretamente a energia mecânica, foram rapidamente aproveitadas para a instalação de centrais hidroelétricas por forma a promover a produção industrial e a iluminação pública. No vale do rio Vizela e dos seus afluentes, onde as pequenas unidades industriais e as práticas agrícolas tinham instalado, ao longo do tempo, pequenos açudes para aproveitamento das águas, surgem agentes, principalmente empresários, que vão aproveitar essas mesmas estruturas para as adequarem à produção de energia hidroelétrica e à iluminação pública.
No início do século XX, começam, assim, a proliferar, as centrais, em grande parte para serviço particular das empresas têxteis ou para a comercialização e distribuição de eletricidade, movimento esse que também é acompanhado por entidades privadas como foi o caso da Jordão Costa & Companhia para a construção e exploração da Central do Corvete. Num processo complexo iniciado em 1914 pelo pedido de António Alexandre Souto, pretendemos apresentar as diligências administrativas da Central do Corvete, com base em documentos inéditos da Agência Portuguesa do Ambiente.

Nota biográfica:

Francisco da Silva Costa, doutor em Geografia, faz parte do departamento de Geografia da Universidade do Minho como professor auxiliar. É investigador do Centro de Estudos em Geografia e Ordenamento do Território. Tem-se de dedicado a várias temáticas, entre as quais se destacam, o património ligado à água e o Domínio Público Hídrico, sobre as quais tem múltiplos obras e artigos escritos e coordenado diversos projetos de investigação científica

cartaz

convite

Boletim Municipal #9 2016
Cm Felgueiras 2017 - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por